2013/04/04

Ouvi dizer que "a vida é uma piada de mau gosto".
Apesar do desânimo, pareceu-me uma piada de extremo mau gosto.
A vida, ao som de What is life (George Harrison).

18 comentários:

  1. Concordo contigo, porque haveria a vida de ser uma piada de mau gosto?! é verdade que temos momentos de muito desânimo e tristeza em que parece ser mais fácil desitir e pronto. Mas a verdade é que a vida tem tanta coisa fantástica e maravilhosa para nos oferecer! Basta estarmos receptivos a isso! :3

    Abraço :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu penso que a frase tinha esses sentido de desânimo que referes, mas claro que temos que parar e ver o lado bom da vida, mesmo que o momento seja de desalento.
      Abraço :)

      Eliminar
  2. A pessoa que diz isso é que é uma piada de mau gosto!
    Abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É da mau gosto, sim, mas o Mark já nos deu uma explicação :)
      Abc

      Eliminar
  3. Com certeza é de muito mau gosto e de um amargo "extremo"...

    Viver não é fácil, existir não é fácil, mas é justamente por isso que vale a pena... Ainda que muitas vezes os fardos fiquem quase insuportáveis, sempre é tempo de olharmos para trás e olhar o caminho percorrido e, tenho certeza, vamos encontrar motivos para continuar!

    Abração meu amigo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Talvez o estímulo esteja em procurar e encontrar motivos quando parece que já nada faz sentido.
      Abraço ;)

      Eliminar
  4. Só se for porque a vida se farta de rir de nós.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nesse caso seriamos nós a piada, mas isso de muito mau gosto ; livra ;)
      Abc

      Eliminar
  5. Salvo erro, foi Schopenhauer que o disse. Creio que ele se referia ao facto incontornável de que, na vida, há mais dor do que alegria. Claro que não podemos dissociar os autores dos seus escritos. Talvez ele o tinha referido influenciado pelas condicionantes da sua vida à época. :|

    abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Desconhecia o autor, mas quando a ouvi não me pareceu um improviso. Terás razão dizes que foi um pensamento condicionado pelas circunstâncias. Partilho inteiramente dessa opinião.
      Abraço

      Eliminar
  6. Eu, Rosie, eu se falasse, eu dir-te-ia
    Que partout, everywhere, em toda a parte,
    a vida égale, idêntica, the same, é sempre
    um esforço inútil, um voo cego a nada.
    Mas dancemos, dancemos,
    já que temos a valsa começada
    e o Nada deve acabar-se também,
    como todas as coisas.
    ...
    Reinaldo Ferreira, Um Voo Cego a Nada, 1960.

    de extremo mau gosto. apesar dos momentos tristes, apreciar um pôr-do-sol, vê-lo renascer no dia seguinte brilhando supera tudo (mesmo esta chuva incessante).
    bjs.
    ps: eu já acordei de propósito para ver nascer o sol e esse calor fica o dia inteiro cá dentro :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também já acordei de propósito para ver o nascer do sol. Já passei a noite em "claro" na praia para viver esse momento e já dormir no cimo da ilha do Pico igualmente para o fazer. São momentos únicos.
      Bjs

      Eliminar
    2. E o poema diz tudo :)

      Beijinhos

      Eliminar
  7. Não custa viver,custa é saber viver ;)

    Abraço

    ResponderEliminar
  8. Mesmo que condicionada por circunstâncias, como bem aponta o Mark, não se pode generalizar. As circunstâncias também variam...

    ResponderEliminar
  9. As circunstâncias levam a dizer isto... por vezes.
    abc

    ResponderEliminar
  10. O Mark é verdadeiramente brilhante! E todos somos uma piada de muito bom gosto, apenas algumas mais complexas do que outras.

    ResponderEliminar