2012/02/20

Quando penso na forma como lidamos com o amor, lembro-me da minha avó. Além daquela imagem de avozinha que passou dos 90 anos, vestida de preto, de carrapito e lenço na cabeça, guardo a memória de uma pessoa bondosa que me ensinou muito sobre o amor.
É a minha estrelinha no céu.
Na altura dos nossos 8 e 80 eu passava muitas horas com ela. Um dia, por qualquer birra de garoto zanguei-me, e com o meu feitio de Touro enraivecido disse-lhe, "já não gosto de ti"; e a minha avó respondeu-me, "não faz mal, porque eu ainda gosto de ti".
Não sei como é que consegui guardar memória destas palavras durante quase 30 anos, mas hoje, numa espécie de momento epifânico, sei que foi a maior lição de amor que recebi.
Por isso, enquanto tomo consciência da vida, lamento que nos momentos de discórdia (seja entre família, amigos ou amantes) - porque ao contrário do que me têm tentado convencer, amar é amar, seja quem for - não haja sempre alguém com a sabedoria suficiente para dizer um "não faz mal, porque eu ainda gosto de ti".
E mais me convenço que a maioria dos seres humanos não entende o amor...
A minha estrelinha, ao som de My star (Brainstorm)

14 comentários:

  1. Em primeiro lugar: nossa, esse novo visual do blog ficou muito lindo mesmo. Bom gosto o seu.

    Segundo: menino, quando você resolve escrever, já fico atento... que maravilha! Suas palavras possuem uma precisão cirurgica, diria eu... de bons cirurgiões, é óbvio.

    Abração.

    ResponderEliminar
  2. @Cesinha
    A mudança foi só à experiência :)
    E precisão cirúrgica deve ser mais para os teus lados :p

    ResponderEliminar
  3. Excelente texto e excelente lição de vida, da parte da tua Avó.

    ResponderEliminar
  4. @pinguim
    Obrigado.
    Consiga eu chegar lá um dia.

    ResponderEliminar
  5. Muito comovente e absolutamente verdade. Oxalá fossemos todos capaz de amar assim, incondicionalmente.

    ResponderEliminar
  6. As avós são uma coisa fantástica. A imagem que descreves da tua corresponde perfeitamente à memória que tenho das minhas.

    ResponderEliminar
  7. @um coelho
    Posso garantir-te que esta era :)

    ResponderEliminar
  8. já tinha saudades dos teus textos. O "para despertar" enche o olho mas estes pequenos textos enchem-me o coração.

    E este é capaz de ter sido o comentário mais gay que já deixei aqui. Ora bolas ;)

    ResponderEliminar
  9. @Speedy the Turtle
    Obrigado :)
    E julgo que por aqui ninguém se preocupa se os comentários são mais ou menos gays :p
    abc

    ResponderEliminar