2014/04/18

Hoje decidi recuperar uma tradição da minha infância.
Sou da Caparica (coelhos, aqui estou eu a falar um pouco mais de mim :p), terra de praias e de raízes piscatórias. Na Sexta-feira Santa, na qual, por tradição cristã, não se come carne, existe por aqui o hábito de se ir apanhar mexilhão nos pontões das praias, em particular na zona da Trafaria. Durante toda a minha infância o meu pai levava-nos até à Cova do Vapor, um pequeno lugarejo, ali onde o rio encontra o oceano, e passávamos parte da manhã a brincar na praia enquanto os mais velhos apanhavam os ditos mexilhões, lapas e percebes. No meu bairro era raro o vizinho que não cumprisse a tradição, por isso, quando deixámos de o fazer, havia sempre alguém que nos oferecia alguns desses moluscos.
Hoje, pela manhã, combinei com a princesinha uma ida à praia (já tinha verificado previamente a hora da baixa-mar); levámos a "tralha" do costume (patins em linha, bola, raquetes...) e algum material necessário para a escala na Cova do Vapor; deliciei-me logo na chegada àquele pitoresco lugar, onde não ia há cerca de 20 anos, e que, embora enquadrado por uma paisagem que consegue ser magnífica, continua repleto de verdadeiras pérolas da arquitetura clandestina, como a "Boutique Jeitosas", a "Vivenda tudo ou nada" ou a "Casinha da Natália"; surpeendi-me igualmente com a quantidade de pessoas que ainda cumpre a tradição. A meio da manhã uns já se iam embora, enquanto outros, como nós, chegavam ao pontão. Ainda apanhámos umas molhas, porque a maré já estava a subir, desfrutámos das vistas para a lindíssima zona da Barra e voltámos a casa com um saco de mexilhões. A caminho do carro já a princesinha me dizia que no dia seguinte queria voltar à Cova do Vapor. Divertiu-se tanto como eu me divertia em criança.
À tarde voltámos à praia, mas desta feita à Costa para o plano primeiro: andar de patins no paredão, jogar à bola, jogar raquetes, fazer o pino, apanhar banhos de sol... :)
A tradição ainda é o que era, ao som de Sol da Caparica (Peste & Sida).

25 comentários:

  1. A minha mãe também fala dessa tradição, mas na zona da Ericeira :P E que ela também fazia isso :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. mais uma terra de pescadores :)
      abc

      Eliminar
  2. Quando for a hora de comer, podes avisar e convidar ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A tradição cumpriu-se ontem :)
      abc

      Eliminar
  3. é bom saber que algumas tradições ainda se mantêm, especialmente estas, que são maravilhosas :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. São mesmo maravilhosas; e é engraçado ver que aquilo que nos divertia quando eramos crianças continua a divertir as crianças de hoje.
      Abc

      Eliminar
    2. yap :)

      r. então temos que agarrar bem cada oportunidade que nos dão.

      Eliminar
  4. De tradição apenas tenho mesmo não comer carne na sexta-feira santa. Dizem que a tradição já não é o que era, mas é bom saber que há algumas que permanecem.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por aqui essa tradição mantém-se :)
      Mas mais do que as tradições puramente religiosas, acho graça a esta mais populares.
      Abc

      Eliminar
  5. r. Obrigado pelas tua palavras :)

    Também costumávamos apanhar mexilhões quando era pequeno. E também deixámos essa tradição. Porque é que deixamos de fazer as velhas tradições que nos dão alegria? Não percebo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Só depende de nós manter essas tradições :)

      Eliminar
  6. És um pai tão fofinho e atento às necessidades de uma criança.

    Eu não tenho tradições. Não tenho "terra"...

    Sabes, a menção a um lugar onde não ias há imensos anos lembrou-me um pormenor: no último Verão, alguém levou-me a um sítio onde não ia desde que um familiar muito próximo morrera, o mesmo que era o responsável por essas idas ao dito sítio.

    um abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Foi precisamente isso que aconteceu Mark; deixei de lá ir quando o meu pai faleceu. Foi muito bom recuperar todas essas memórias a dois e estou certo que retomámos a tradição :)

      A minha "terra" é aqui mesmo, a poucos passos da tua. Claro que tens "terra", e tb ela repleta de tradições :)

      abc

      Eliminar
  7. Hummm... que bom" Também queria viver junto ao mar. Tem os seus encantos durante todo o ano!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Verdadeiros encantos. Com todo o respeito que nos merece, adoro olhar o mar no inverno.
      Há dias contei aqui a história de um pequeno cagarro, passada na época em que eu morava a 4 ou 5 metros do mar; isso sim, era maravilhoso ;)
      abc

      Eliminar
  8. Uma bela tradição, parabéns! ^^

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É uma tradição muito engraçada :)

      Eliminar
  9. Ouvi dizer, ao som dos Ornatos, que este post me deixa de Lágrima no canto do Olho, ao som de Bonga. "És o melhor pai do mundo", deve dizer a tua princesinha (já agora, ao som de My Father's Eyes de Eric Clapton). :D

    ResponderEliminar
  10. :-)
    Sim, ela costuma dizer isso, mas é suspeita :-)
    abc

    ResponderEliminar
  11. Não conhecia essa tradição pascal e por dois motivos: não ligo nada à Páscoa e sou, como bem sabes, de uma zona interior...

    ResponderEliminar